PORQUÊ EXPORTAR

Um elemento importante para a sustentabilidade do processo de desenvolvimento de Angola reside no seu relacionamento com o exterior e na inserção competitiva da economia no contexto internacional.

Angola é parte do sistema do comércio internacional, facto pelo qual consome produtos vindos de diversos países do mundo, conferindo assim possibilidade aos habitantes no país de satisfazerem necessidades de consumo de bens e serviços que o país não produz.

Como parte deste sistema de comércio internacional, os produtos produzidos em Angola por empresas do sector privado ou público, também podem ser comercializados em outros países, tal como acontece com realce para petróleo bruto e diamantes.

Pretende-se que produtos agrícolas, florestais e seus derivados, das pescas, mineiros e industriais; serviços como os dos transportes, financeiros e das telecomunicações, produzidos em Angola possam ser comercializados em outros países.

O país prioriza a diversificação da produção de bens e serviços para o consumo interno e para exportação.

Para assegurar a implementação de um conjunto de políticas de apoio e promoção das exportações, o governo angolano institucionalizou a Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações (AIPEX), como elo entre o estado angolano, as empresas angolanas e o mercado internacional, como objetivo da facilitação da comercialização de produtos angolano no exterior.

Importância de exportar

Para as empresas (destacam-se):

  • Diversificar e aumentar mercados de comercialização de produtos e serviços
  • Aumentar a produtividade e ganhos de escala
  • Recebimento em moeda externa
  • Aumentar especialização técnica e tecnológica e redução de custos de produção
  • Aumentar capacidade em investigação e desenvolvimento de novos produtos
  • Aprimoramento da qualidade dos produtos;
  • Reduzir riscos de dependência de um único mercado (interno)
  • O aprimoramento das técnicas de design e embalagem, para adequar-se às   exigências do mercado importador;
  • A implantação de marca e formação de nome internacional;
  • A distribuição mais regular das vendas;
  • Estabelecimento de mercados alternativos;
  • Aprimoramento do marketing da empresa;
  • A participação nos incentivos fiscais e creditícios;
  • A redução dos custos financeiros, pela obtenção de incentivos e outros benefícios (linhas especiais de crédito;